sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Pode parecer egoísmo, mas garanto que não é.




Estou tão absorta nos problemas dos outros, e a tentar solucionar e a escutar e a preocupar-me, que me esqueço completamente de mim e dos meus problemas. Sim também os tenho.
Todos vêm ter comigo para ajudar, todos me ligam quando chegam ao desespero. Até no trabalho, quando já não conseguem, aqui a SuperSónica resolve.
E eu?
Eu tudo bem, vou ouvindo, vou dando conselhos, vou fazendo da tripas coração para me desdobrar, para fazer tudo e ainda cuidar das pessoas.
Mas e os meus objectivos? E as ideias que tenho todos os dias? Isto fica tudo para depois, aliás não se pode fazer tudo ao mesmo tempo, ok? Errado.
No outro dia senti-me cansada. Tão cansada. Estoirada. Esgotada. Como um titulo de um livro: uma mulher à beira de um ataque de nervos!!!!!
Já tomei a decisão de ir treinar para a casa da cunhada no mínimo 3 vezes por semana, enquanto estou na passadeira oiço Scooter ou Ramstein (tem tudo a ver, mas tem de ter uma batida que me dê pica e que eu goste muiiiitooooo). Organizo os meus almoços e jantares de maneira a que não tenha de cozinhar todos os dias. Organizo a casa de maneira a que me dê menos trabalho. Escolho um dia na semana para sair do trabalho e ir direitinha à gata. Preciso. Organizo-me de maneira a que consiga ter tempo para ler, tempo para namorar, tempo para descansar.
E como é que consigo isto tudo? Faço o meu coaching com a minha cunhada. Uso Sar's. Sou SuperSónica mas tenho os meus limites. E aprender a controlar o tempo não é coisa fácil, mas estou a conseguir.
Uma coisa é certa: não posso abdicar de mim em prol dos outros, já aprendi isso a muito custo.



11 comentários:

  1. Isso mesmo, primeiro tu! (É muito fácil dizer!!)

    ResponderEliminar
  2. E acho que fazes muito bem .. primeiro estás tu e isso é que importa!

    ResponderEliminar
  3. Há gestões difíceis, huh? :)
    Cuida lá de ti, que os outros ganham na mesma. (Estou a aprender qualquer coisa, não?) ;)
    Beijoquinhas

    ResponderEliminar
  4. é isso mesmo..
    tens de pensar sempre em ti em primeiro lugar :)

    kisses***

    ResponderEliminar
  5. O começo do teu post me fez lembrar o filme " O fabuloso destino de Amélie Poulain". Ela querendo resolver os problemas dos outros, sem parar um pouco pros anseios dela. " E ela, e as suas desordens? Quem vai por em ordem?"

    Resere um tempo pra si, e tudo melhorará tbm ao redor ;)

    Beijoo'o
    http://flores-na-cabeca.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  6. Tens um desafio no meu blog, depois se quiseres responde ;)

    http://silencioprotector.blogspot.pt/2014/09/desafios.html

    ResponderEliminar
  7. Gostava de conseguir e ter mais um bocadinho de tempo para ser assim organizada, mas ainda não é desta! Ainda bem que tu consegues porque além de teres tempo para as coisas que gostas, tem de ter tempo para ti :D

    ResponderEliminar
  8. Esse cansaço sentimos quando estamos demasiado envolvidas nos problemas dos outros. Que são isso mesmo, dos outros, não nossos. Aí sim, é preciso parar e ter tempo para reflectir em nós! E não vais ser menos amiga se não lhes 'resolveres' os problemas na hora, pelo contrário. Ao focares-te mais em ti, vais estar mais apta a dar atenção às necessidades dos que te rodeiam e nessa altura não te sentirás cansada. Haverá tempo de sobra para tudo. (estou a escrever isto para ti e para mim, não me posso esquecer disto) Ainda hoje estava a ficar tão desorientada com as exigências do chefe que tive que parar, fui esconder-me no wc, para conseguir reequilibrar-me e depois voltei à carga e tive tempo para tudo. Quando estamos exaustas, não conseguimos fazer nada para nós, quanto mais pelos outros!
    Beijinhos :)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Utilizo muito a técnica do wc, mas de resto...ando tão cansada que nem imaginas. Gostei das tuas palavras, obrigada!

      Eliminar
  9. Durante anos esqueci-me de mim e preocupei-me com os outros. Hoje assumo-me egoísta. Cansei de dar e, quando precisava, nada receber... Agora dou apenas na medida em que recebo. É triste mas se eu não me defender, ninguém me defende...

    ResponderEliminar