sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Olha m'outro!



Mais um senhor que telefonou para o meu trabalho e perguntou de onde falava:
Eu: (---nome---)
Ele: TAP????
Eu: Não Sr. é (---nome---)
Ele continuou sem perceber mas ficou pensativo: é uma empresa de quê? Perguntou
Eu: É de Gestão....blá blá blá
Ele: Impressão???
Eu: Não Sr. GESTÃO....blá blá blá
Fez-se silêncio e eu já ouvia um burburinho dos meus colegas prontos para gozarem o prato!
Ele: ah...não sabe quem é que me ligou agora mesmo? Sou o Padre Edgar.
Eu: Padre??!!
(já me tinham passado pelos ouvidos muitas coisas, mas Tap? Impressão? Padre??????)
Eu disse que não sabia e desliguei o mais depressa possível pois já não estava a conter o riso.
Eu ri-me até às lágrimas durante longos minutos...já me doía a barriga!
Os meus colegas mais próximos, estavam incrédulos também e foi a risada geral...eu nem conseguia falar de tanto rir...está bonito está!

Passados uns minutos, toca o telefone e antes de eu atender já o colega do lado esquerdo dizia: "é o padre" e o do lado direito dizia "é o diácono"...pronto...mal de mim que quase nem conseguia falar de novo tal não era a força das gargalhadas a quererem sair...



quinta-feira, 30 de janeiro de 2014



Ontem adormecemos a falar sobre nomes, de A a Z, de rapaz e rapariga...
Talvez um dia...quem sabe!




quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Life Rules #13



"A razão pela qual algumas pessoas acham tão difícil serem felizes é porque estão sempre a julgar o passado melhor do que foi, o presente pior do que é e o futuro melhor do que será."
Marcel Pagnol



terça-feira, 28 de janeiro de 2014

O Amor por aí







Há pessoas que realmente não sabem o siginificado desta grandiosa palavra AMOR.
Tratam todos e todas por amor (eu cá não gosto nada de ser tratada assim a não ser pelo mais-que-tudo), chamarem "querida" tudo bem, agora por amor??? Santa paciência...
E aquelas pessoas, gajas vá, que no mês passado amavam um, este mês amam outro e é o amor da vida delas e no mês que vem se for preciso já estão outra vez a dizer que amam o próximo...ó minha nossa que complicação.
Parece que é dizer por dizer, parece que já nem sentem aquilo que dizem, sai cuspido pela boca e não pelo coração.



segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Mamãe às vezes tem tomates!



De vez em quando mamãe supera-se a ela própria e surpreende-me pela positiva deixando-me cheia de orgulho!
Ora, o meu pai foi operado às cataratas, e sendo a sua primeira intervenção cirúrgica, com anestesias e com direito a uma estadia na clínica, estava todo "acagaçado" e mamãe a sofrer por ele!
Ela esteve sempre ao lado dele, depois foi para o quarto aguardar pela operação - correu tudo bem, como era de esperar - esteve com ele no recobro, depois no quarto e durante as refeições.
Eu fui lá ter com eles, fiquei descansada (tem de haver alguém na família com sangue frio para acalmar os nervos daqueles dois)!!!! E depois fiz-lhe a escolta até casa, pois que mamãe não gosta nada de conduzir à noite.
E é a partir daqui que vem o problema: conduzir!
Lá vim eu devagarinho no meu carro, à frente dela, chegámos a casa e eu disse-lhe que lhe arrumava o carro na garagem, ao que ela me responde que depois de manhã para tirar o carro não iria conseguir porque o espaço é apertado pois o carro do meu pai está lá também, e que o dito iria dormir na rua naquela noite.
Eu propus também que lhe tirava o carro na manha seguinte, mas com os nervos da mulher, não vale a pena contrariar e foi na rua que o carrito dormiu.
Ela que é mais ansiosa que eu e vendo-se sozinha em casa, dormiu à pressa e ainda não eram 8h da matina já andava levantada para ir para a clínica ter com o meu pai.
Coitada qual não foi o espanto dela que o raio do carro não pegava nem por nada, a bateria pifou!
Ela andou ali, de um lado para o outro, a minha irmã disse-lhe que o meu cunhado a podia levar (mais tarde) à clínica, mas depois eu teria de os ir buscar e ela não queria esse trabalho, queria era zarpar o mais depressa possível...andou ali...andou ali...até que me veio bater à janela do meu quarto...
Solução? Arranjei logo: mãezinha vais levar o carro do pai.
Ela: ai não, valha-me nossa senhora, sabes que o teu pai nunca me deixou conduzir o carro dele, e eu não sei conduzir o carro ainda tenho algum acidente.
Eu: qual acidente qual carapuça, vamos lá ver.
Fui tirar o carro do meu pai da garagem, ajeitei-lhe o banco, passei-lhe o carro para as mãos e disse para ir até à rotunda mais perto e voltar que eu estava (cheia de frio) no meio da estrada à espera dela.
Assim foi, assim veio e com uma cara já alegre diz-me: filha este carro é mais fácil de conduzir, eu vou bem.
Eu: Vai lá então, já te ligo.
Esperei meia hora certinhas, quando lhe liguei ela tinha acabado de estacionar e estava contente por ter conseguido. A seguir o problema consistia em dizer ao meu pai e, pior do que isso, ele ter de vir à pendura. (Eu nesta altura só me ria).
Ela lá lhe disse, sem stress e na hora de virem para casa, la piece de resistance, ela virou-se para e disse-lhe: eu levo o teu carro, mas tu vais aí caladinho, não abres a boca, nem pias para eu não me enervar ainda mais.
O homem aceitou e lá chegaram em paz...e eu a gozar o prato!!!!!!



sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Acho isto tudo muito, muito estranho...



"É muito intrigante" que uma criança de 18 meses tenha resistido durante vários dias e noites ao relento numa levada. Segundo José Luis Nunes, director do serviço de neonatologia do hospital Nélio Mendonça, Daniel, a criança que esteve desaparecida de domingo à tarde até esta quarta-feira, está fisicamente bem. Não há sinais de queda, de maus tratos."
 in, Expresso
 
 




quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Daquelas coisas #7


No outro dia fui à farmácia e foi-me impossível não reparar que o senhor farmacêutico tinha o bolso dianteiro da bata cheio de canetas, que não cabia nem mais um alfinete.
Fiquei a olhar e perguntei-me qual o motivo para tanta caneta naquele bolso...não consegui perceber!



quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Dormir de conchinha





Até os meus gatos gostam!
Todos os dias quando acordo lá estão estes dois, sempre juntos, sempre agarrados. A outra gata é mais anti-cenas e dorme no andar de baixo deste sofá! (Sim os meus gatos têm um sofá enorme só para eles!)







terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Daquelas coisas #6



Regra geral de todos os clientes que me aparecem aqui no trabalho não há um que dê para lavar as vistas, quando me aparece um muito simpático e brincalhão, eis-que tinha umas unhacas tão pretas e tão encardidas que automaticamente senti uma vontade de vomitar...




segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Há males que vêm para bem






Podia dizer que tive um fim-de-semana calmo, não fui abanar o capacete, tive dois jantares com a família, tive um jantar com amigas...
Podia dizer que entalei o meu dedo na porta do carro e fiquei a ver estrelas durante todo dia de ontem...
Podia dizer que não consegui dormir quase nada, porque simplesmente nem tinha sono...
Podia dizer que eram 3h da matina de sábado e estava preocupada com outra amiga ao falar com ela ao telefone...
Podia dizer que não gosto de dormir sozinha de 15 em 15 dias, para quem já está habituada a dormir de conchinha...
Podia dizer que tive mais um conversa com o mais-que-tudo, mais uma vez a colocar situações e atitudes bem definidas, sem haver chatices e acabando tudo bem...

Isto foi o meu fim-de-semana, mas o mais importante é que tenho amigas verdadeiras e frontais... Tenho-as sim e dou graças por serem como são.
Vieram em minha defesa, antes que o nosso grupo de chateasse por uma intriga que dura há meses e que só eu não sabia. Intriga de uma pessoa que a partir de sábado faço questão em manter longe. Intriga que envolve ciúmes. Que poderia ter desencadeado um final infeliz no meu relacionamento se eu não mantivesse o meu discernimento, se não visse com os meus olhos o que está visível e não sentisse com o meu coração.
Eu ainda me pergunto (mais uma vez), somos crianças ou adultos? Invejas? Ameaças? Desculpas de atitudes menos boas por ter copos a mais? E depois quando confrontada com a situação não foi mulherzinha para dizer a toda a verdade (apenas parte dela) e mesmo assim não me convence...
Quem desdenha quer comprar, mas daqui não leva nada. Perde mais do que ganhou. Não tem noção.  Não tolero e disse-lhe o que tinha de ouvir. Desfiz o nó porque não sou cínica. Mas se voltar a estar no mesmo recinto irei continuar a cumprimentar apenas porque sou educada.





quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Por favor poupem-me a essas visões



As leggings, e falo por mim, usam-se com túnicas.
Tudo bem que as há giríssimas a imitarem calças e com desenhos variados, mas daí a fazerem daquilo mesmo calças, é que não gosto nada de ver.
Ainda ontem vi uma rapariga com umas leggings tão transparentes no rabo que dava para ver que as cuecas eram às riscas e ora bolas é do tipo de visão que realmente dispenso.




quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Life Rules #12








Aprendi, a muito custo, que realmente é um desperdício de tempo e é a falar que as pessoas se entendem!
Por isso sorrir, perdoar e ter paz de espírito é a melhor atitude.
Certo?




terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Depois de acontecido Não me ri às gargalhadas


Telefonema de um cliente para o meu trabalho:


Ele: olhe passa-me ao balcão? É que preciso de saber se tem uma peça...
Só me apetece responder - deve estar a pensar que está a ligar para uma loja ou mercearia ou algo que o valha.
Pergunto de onde fala ao que homem me responde: "sou o --nome--, para o que quer que isso valha" e eu olho de soslaio para o telefone e insisto em saber o nome da empresa ao que me responde com maus modos "não é empresa nenhuma" e eu nessa altura só me apetece madá-lo à merda.
Respira fundo mulher!