terça-feira, 30 de julho de 2013

Alguém me explica?


Não sei o que é que eu tenho hoje, pois em tudo o que toco dá-me choques.
E é com cada um que se houve a escassos metros...já estou a ficar farta de tantos choques!



segunda-feira, 29 de julho de 2013

Num ápice





É o fim-de-semana que passa a correr...é a noite de ontem para hoje que passa a correr...bolas e de repente já o despertador tocou e eu estava a dormir tão bem, mas tão bem!

Vai um cafézinho?








sexta-feira, 26 de julho de 2013

Daquelas coisas #3


Às 2h da matina definitivamente não é uma boa hora para ouvir os senhores do lixo a lavarem os contentores...mas que barulheira xiça.




quinta-feira, 25 de julho de 2013

Eu vou desabafando tá?


O Freud e o Jung. O complexo de Édipo/Electra. Para o que me havia de calhar...dasssssss
A filha do mais-que-tudo está quase a fazer 13 anos, será normal ela com esta idade ter o complexo bem instalado dentro dela?
Eu acredito que assim que ela ficar menstruada, isto irá passar-lhe pois todo o organismo muda bem como o seu comportamento...pelo menos é o que geralmente acontece!
Ora ela gosta de mim, e gosta das atenções todas para ela, ora se está comigo é uma coisa: fala imenso e brinca e está na boa. Agora quando estamos os 3 ela não se aguenta, quer o pai todo para ela, agarra-o, chama-o constantemente, coloca-se no meio de nós os dois, afasta-o de mim, dá-lhe beijos na boca...
Eu já me comecei a "desmarcar" ao sábado ao final da tarde, vou jantar com as amigas, vou-me divertir imenso com elas. Mas no domingo tudo volta...e eu já começo a ficar sem paciência.
Todos notam este comportamento menos o dito cujo. Já o chamei a atenção e ele não gostou, às vezes é mais forte do que eu e vou mandando umas bocas, mas tenho consciência que não é a atitude correcta e eu não sei como lidar com isto.
É sabido que ela não faz o mesmo com a mãe e o namorado dela, é certo também que este comportamento começou a intensificar-se de há um ou dois meses para cá.
Lá está, não sou psicóloga (ai o quanto eu gostaria de ser...), não consigo obter respostas nem soluções...
Realmente não sei o que faça.



quarta-feira, 24 de julho de 2013

Tenho que ler isto 500 vezes...hoje faz sentido


"Depois de algum tempo aprendes a diferença, a subtil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E aprendes que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começas a aprender que beijos não são contratos e presentes não são promessas. (...)

E não importa o quão boa seja uma pessoa, ela vai ferir-te de vez em quando e precisas perdoá-la por isso. Aprendes que falar pode aliviar dores emocionais. Descobres que se leva anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que podes fazer coisas num instante, das quais te arrependerás pelo resto da vida.

Aprendes que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que tu tens na vida, mas quem tens na vida. E que bons amigos são a família que podes escolher. (...)

Descobres que as pessoas com quem mais te importas na vida, são tiradas de ti muito depressa; por isso, devemos sempre deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas; pode ser a última vez que as vemos. (...)

Descobres que levas muito tempo para te tornares na pessoa que queres, e que o tempo é curto. Aprendes que não importa onde chegas, mas para onde estás a ir, mas se não sabes para onde vais, qualquer lugar serve.

Aprendes que paciência requer muita prática. (...) Que a maturidade está relacionada com o tipo de experiências e com o que se aprende com elas do que quantos aniversários já celebraste. (...) Aprendes que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são parvos. (...)

Aprendes que quando estás com raiva tens o direito de estar com raiva, mas isso não dá o direito de seres cruel. Aprendes que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém. Algumas vezes, tens que aprender a perdoar-te a ti mesmo. Aprendes que com a mesma severidade com que julgas, tu serás em algum momento condenado.
Aprendes que não importa em quantos pedaços teu coração foi partido, o mundo não pára para que o consertes. E, finalmente, aprendes que o tempo não é algo que possa voltar para trás.

Portanto, planta o teu jardim e decora a tua alma, ao invés de esperar que alguém te traga flores. E percebes que realmente podes suportar... que realmente és forte, e que podes ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor, e que tu tens valor diante da vida!"


William Shakespeare



terça-feira, 23 de julho de 2013

Só me calham filmes!


Fodasse eu não sou psicóloga, mas às vezes gostava mesmo de o ser.
O primo do mais-que-tudo tem problemas ao nível da psique e deixou de tomar a medicação. Ao invés dela a ganza estava em alta (ai e tal é medicinal...ai e tal acalma-me...ai e tal uma merda, embora seja das drogas mais leves interfere com o cérebro e despoleta-lhe alucinações), foi assim que ele fritou a pipoca, a altas horas da noite começou aos berros, com visões e a insultar tudo e todos, na varanda e dentro de casa, num modo agressivo e ordinário. Foi internado em psiquiatria e assim esteve durante uma semana. Na sexta de manhã foi-lhe dada alta pois ele tinha um discurso do mais inteligente que se poderia ouvir daquela parte, tinha planos para o futuro e estava disposto a tudo para ficar bom.
Assim que se viu cá fora foi direitinho ao ponto comprar haxixe. Fumou e virou outro: violento nas palavras, momentos de loucura misturados com os de lucidez. Eu pensei que nesse dia iria ter um jantar descansado na mãe do mais-que-tudo e que no final fossemos à feira do Artesanato do Estoril...enganei-me. Quando lá cheguei deparei-me com o desespero de 3 mulheres que não sabiam o que lhe fazer...entretanto chegou o pai dele. À mãe mandou-a para casa, à tia mandou-a foder, ao pai mandou-o para o caralho diversas vezes e à outra tia (a minha sogrinha) não perdeu o pouco respeito que lhe tem. Ele queria fumar, fumar e beber água.
Eu fiz-lhe a vontade, dei-lhe murtalhas e enquanto ele fumava a sua ganza eu fumava o meu tabaco de enrolar. Na varanda. E ali ficámos na conversa, eu estava na boa com ele e ele falava de tudo, trocou de assunto umas trinta vezes. Desde cultura e história, ao sexo e sadismo. Desde a morte à psicanálise. Foi buscar um livro sobre a psicanálise e ele sabia-o de cor. À televisão, desligou-a da ficha pois todos os barulhos lhe faziam confusão. Ao vizinho de cima que tossia, mandava-o para o caralho e dizia-lhe que lhe ía arrancar os olhos. Ele queria era fumar, fumar e beber água. Num aspecto escanzelado, magro e com barba enorme por fazer. O olhar era profundo.
Veio a ambulância, ele mandou-os para o caralho e pediu um colete de forças, caso contrário matava-se. Tinha uma tesoura de cozinha espetada no vaso das flores. (Eu cá sempre ouvi dizer que quem muito ameaça, nada faz).
Eu fazia-lhe perguntas, ele dizia que me respondia a tudo o que eu quisesse saber. Dizia vezes sem conta que não queria continuar a viver no Nim. Na incerteza da vida cá fora e alucinações, na medicação diária, ou muito menos internado. Queria a família reunida e que decidissem uma solução. Queria que um médico lhe explicasse qual a sua doença. É mental mas é o quê? Esquizofrenia? Pulsão? Neurose? Ele sabia as respostas todas, mas queria que um médico lho dissesse. Sabe Freud da frente para trás...incrível.
Veio a policia. Ele disse-me: não me tentes, por favor, eu não te quero magoar porque eu gosto muito de ti. E nisto desatou a chorar. Eu fiquei nervosa tive de sair, fui à porta e comecei a descer as escadas impulsivamente rumo à rua. A minha sogra entrou e foi para a varanda ter com ele. Eu ouvi-a e então voltei para trás, subi de novo as escadas e fui ter com eles. Não a poderia deixar sozinha com ele assim. Estivemos lá as duas, ela saiu para fazer o update ao pai, bombeiros e policia, a noite caía e eu continuava a conversar com ele.
Às tantas eu rezava para que o mais-que-tudo chegasse, estava em pulgas mas não lhe podia ligar. Nisto pareceu-me que o primo me leu os pensamentos e começou a falar do meu amor e mais uma vez chorou...e num espaço de 2 segundos lá me apareceu o homem, os meus olhos brilharam de alivio. Ele sentou-se ao meu lado e os três continuamos a conversar. Mas não poderíamos estar ali a noite toda, alguém tinha de agir.
Os policias tentaram meter conversa e ele só lhes perguntava se podia fumar ganzas, se não pudesse mandava todos para o caralho. Foi aí que o meu homem deu-lhe dois berros. Não mostrou medo, fez-lhe frente (sempre sentados) chamou-o à razão, não podia faltar ao respeito às autoridades assim sem mais nem menos. Ao que ele lhe respondeu: "sai daqui, não te quero fazer mal, basa que eu estava feliz a conversar com ela. Se não mato-me." A minha sogra estava em pânico dentro de casa agarrada pelo irmão, à espera do pior... Mas mais uma vez o meu querido chamou-o à terra, e como que por magia ele levantou-se e disse que sim, ia para o hospital de livre vontade. Ia ser internado.
Assim foi e o pesadelo do momento terminou. Ficou a varanda suja de tabaco, garrafas de água e uma tesoura camuflada de flor. Ficou um vazio em casa um ar sombrio que pairava.
Fodasse, quando a gente pensa que teve um dia mau...há pessoas que têm pior...há dias que custam a acabar...no fio da navalha a vida pode-se perder ou ganhar...




segunda-feira, 22 de julho de 2013

Quando a cabeça não tem juízo....

Este fim-de-semana foi de loucos!
Começou na sexta com ambulâncias, policias, esquizofrenia/neuroses, tentativa de suicídio.....tudo acabou mais ou menos bem.
No sábado houve jantarada de amigos, sempre com muito boa disposição e rockalhada até ser dia!
Domingo ía-me apagando: fui para sardinhada ao almoço na casa da cunhada, comemos na mesa à beira da piscina (ao sol), eu já tinha acordado com dores de cabeça mas o sol ao almoço ainda me fez pior. A dor começou a intensificar e tive de tomar um comprimido pois já estava a ficar mal disposta e fui recuperar para a cama da sobrinha. Dormi la siesta e a coisa lá passou...o nariz continua um bom bocado entupido (já não percebo nada disto) ponho soro, mas não resolve...
Depois fomos jantar a uma esplanada americana, com o outro irmão do mais-que-tudo e respectivos filhos (acho que comi pela semana toda, credo!!!)
Depois, após irmos levar os filhos do mais-que-tudo a casa da mãe deles, rumámos ao nosso rock pois havia uma festa privada, dress code white, colares hula-hula e pulseiras fluorescentes! Que bónitos que estávamos todos pah! A música, diga-se de passagem estava bem melhor do que no sábado à noite, mas a malta hoje trabalhava e não deu nem de longe para ficar até à valsa....se assim fosse faria uma directa e trabalhar sentada com os meus colegas quase todos de férias, isto fica um tédio e eu ainda adormeço....assim com'ássim dormi pouco e o sono abunda! Mas a malta diverte-se e é feliz! (ou vai-se fazendo por ter momentos felizes e inesquecíveis)

Bom dia bloguistas e boa semana!




sexta-feira, 19 de julho de 2013

Fiquei Fã...muito fã


Apesar de não gostar muito de bebidas com gás, provei e aprovei estas duas!





Não gosto nada de cerveja, mas provei esta nova Sagres com limão e que deliciaaaaaaaaaaa, nem sabe a cerveja! A outra descoberta, foi a Somersby ADOREI!
Só podiam ser de maçã... (a minha private joke favorita dos últimos 11 meses!!!!)




quinta-feira, 18 de julho de 2013

Nem tudo é o que parece...





"Quando estamos muito felizes, na verdade estamos muito infelizes.
Quando falamos muito, na verdade, sentimo-nos desconfortáveis.
Quando gritamos, nós realmente tememos.
Na verdade, a realidade nunca é como parece."

Virginia Woolf




terça-feira, 16 de julho de 2013

Como nova ou nem por isso!


Ontem lá fui eu para mais uma consulta de pós operatório e em 3 actos quase que chamava pela minha mãe e alguns nomes à médica. Mas controlei-me e desmanchei-me a rir, ora um dos meus lemas é: antes rir do que chorar!

1-tirou-me os pontos finalmente e quase que parecia que a narina ía atrás...
2-tirou-me as crostas mas destas ainda não me livro pois há muitas para saírem, fiquei com formigueiro no nariz.
3-aspirou-me de novo até ao cérebro...mas acho que ainda tenho os neurónios!

Hoje estou mais entupida do que ontem (wtf????). Daqui a 1 mês volto lá, por agora continuo no soro, disse-me para ir à praia mas sem muito sol na cabeça (ao menos isso xiça!!!)

 


segunda-feira, 15 de julho de 2013

Até acordei super bem disposta...


...mas depois há pessoas que me fazem passar dos carretos, enervam-me tão profundamente que só me apetece bater-lhes.
Há dias em que me apetece cagar nesta merda deste trabalho e zarpar daqui para fora. Os meus colegas são à maneira mas a puta da contabilidade, que é mal amada, mal fodida e velhaca, que até mete nojo parace que tirou o mês para me lixar.... ó senhores dêem-me paciência...
Se a incompetência fosse medida aos palmos esta senhora já devia ter uns 5 metros. Cabra de merda.

Ufffaaaa bem que já tentei aliviar mas ainda não consegui....



sábado, 13 de julho de 2013

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Humpf


Mais uma semana que está a terminar.
O nariz continua com crostas internas, soro com ele!
Não tenho paciência...
O trabalho é mais que muito mas ainda me vai alegrando: ontem andámos com guerras de elásticos a servirem de fisgas...tipo putos, mas partimos a moca a rir!
Das putas daqui também há novidades, mas depois conto.



quinta-feira, 4 de julho de 2013

Marinheira de primeira viagem


Raios partam à anestesia que ainda ando com tonturas, falhas de memória e dislexia.
Não posso com este calor, nem devo devido às hemorragias, portanto só enfiando o nariz dentro do frigorífico mesmo! (E eu que adoro esplanadas...pffffff)
Agora percebo a expressão "agulhas a espetarem" raios partam ao soro que ainda tenho a mão negra da agulha.
Aprendi que os fumadores aguentam melhor os efeitos de recuperar da anestesia (enjoos e afins), mas não quero de todo voltar a isto...credo! Já agora podiam ter aproveitado e faziam-me uma lipoaspiração, mas não....
Aprendi que desde as crianças aos adultos, todos têm mau acordar da anestesia e agem como se estivessem encurralados...ó céus será que eu fiz destas figuras???
A clínica perdeu o meu Tac: comé-qué-possível???? Depois ainda falamos mal do sistema público, ali ninguém sabia de nada, andavam todos trocados!
Quando lá fui para a minha médica aspirar-me os tampões do nariz, disse-lhe que me parecia que estava a aspirar o cérebro, e ela: ahahahah dizem todos isso... (Ai sim? porque será??? Nem imagino!!!!)
Qual dieta qual quê a seguir: só tive sabor nas 72h depois, e o cheiro apenas quando ela me desentupiu os canos, agora comer sem ter o sabor é horrível, o que me sabia bem era pão com manteiga e sumos.
Tenho pontos que me aleijam a narina e o sangue já parou, no entanto respirar bem ainda é uma utopia e para dormir pareço um motor a dois tubos!!!!!

Para a semana regressarei aos vossos blogues, pois não sei novidades nenhumas vossas...